DIY – Assentando Ladrilhos Hidráulicos

Vamos colocar a mão na massa e renovar um ambiente com ladrilhos hidráulico? Já pensou que você mesmo pode fazer isso? Aqui é mais uma sessão de faça você mesmo!

Ladrilho Hidráulicos:

  • Ladrilho no tamanho 10x 10, 10×20 ou 20 x 20cm
  • Qual desenho
  • Condicionamento: Peças avulsas ou kit patchwork com 10 peças de 20x20cm

Material de acabamento:

  • Impermeabilizante para acabamento brilhante
  • Cera liquida
  • Resina oleofugante ou hidrofugante

Argamassa:

  • Para áreas internas – ACI
  • Para áreas externas – ACII
  • Para ambas as áreas – ACIII (Cada saco de 20Kg rende torno de 2 a 4 m².)

Ferramentas:

1- Desempenadeira lisa de aço            2- Desempenadeira dentada de aço.

3- Nível                                                       4- Régua de alumínio de 1m

5-  Máscara                                                6- Luvas

7- Pano                                                       8- Óculos de segurança

9- Caixa de massa                                   10- Trincha

11- Rolo de pintura

Mãos à obra?

Primeiro você aplica uma camada + ou – de 5mm de argamassa em uma área de 1m², em seguida retirar o excesso com a desempenadeira dentada.

Assente o 1° ladrilho começando pelo canto superior, posicione-o na argamassa e pressione suavemente para na trincar. Jamais bata com martelo e caso apareça sobras ou respingos, use o pano para limpar.

Faça a continuação de assentamento mantendo sempre uma junção de 2mm de junta seca entre elas e certifique-se que estejam niveladas.

Espere cerca de 12 horas para a argamassa secar e garantir a fixação.

Com a trincha seca remova a poeira, de forma delicada para não arranhar a peça.

Para aplicar a resina use a máscara, o rolo de lã e passe três demãos de resina ou cera ou impermeabilizante de acordo com o acabamento desejado, a cada 8hrs. Siga a lógica: 1° demão no sentido horizontal, 2° demão sentido vertical, 3° demão no sentido horizontal.

Espere secar por 12 horas para só depois liberar o espaço.

Dicas: Para a limpeza diária use sabão neutro e água. Use cera liquida de 15 em 15 dias.

Gostou? Vai fazer? Então me envia o resultado para que divulgar aqui.

Tudo o que você precisa saber sobre Silestone

Olá,

O Silestone é um compacto de quartzo e cristais fabricados com alta tecnologia, mediante um processo chamado Sistema de Vibrocompressão a Vácuo. A sua composição é de 95% de quartzo (o material natural mais abundante do planeta), ao qual se junta 5% de resina de poliéster como elemento aglutinante e pigmentos especiais. Tem baixa porosidade, e alto nível de resistência a impactos, ultrapassando em grande media outros produtos de aplicação similar, vai-lhe dar tranquilidade na cozinha ao lidar com todos os objetos da pesados. Deve ser limpo com esponja e produtos saponáceos, para cores claras, produtos a base de cloro.

Essa pedra é fácil de ser encontrada e é vendida em todas as marmorarias da cidade, ela está disponível em cerca de 60 cores, ou seja haverá uma cor Silestone adequada para a maioria dos estilos. Dependendo da cidade, o preço varia entre R$ 1.700 a 2.300 o metro quadrado e é um material que pode ser utilizada em ambientes internos e externos.

Inspirações com as cores mais quentes.

 

  • Silestone Azul Stellar

Quem disse que pedras são apenas para áreas molhadas e/ou área externa? Amei esse projeto integrando a cozinha, sala de jantar e sala de TV.

  • Silestone Turquesa

EU AMEI essa cor.

O Grupo Cosentino lançou no 25° aniversário da Silestone, a Acqua Fraccaroli, que foi desenvolvida por Brunete Fraccaroli, o arquiteto brasileiro de renome.

A cor lembra as belas praias azul-turquesa das Ilhas Cook, no Pacífico Sul. Sua bela e intensa verde azulado representa a natureza e transmite a sensação de bem – estar, saúde e felicidade . Esta série, exclusivo e limitado, teve um lugar especial na feira 100% Design London, que se iniciou em 23 de Setembro 2015 em Londres Olympia edifício icónico.

Os grandes arquitetos deu vida a um deisgn contemporâneo capaz de reviver qualquer espaço dando uma aura especial ao ambiente.

Acqua Fraccaroli vem apoiado pela garantia de Cosentino e uma série de certificações internacionais eles estão provando a sua qualidade: Greenguard, NSF e LGA “Higiene” .

  • Silestone Amarelo stellar

A cor amarelo já é uma paixão pessoal, esse tom usado no banheiro deixou ele mais alegre e jovial.

  • Silestone Vermelho

Para quem gosta de ousadia e sofisticação essa é uma ótima ideia, principalmente para áreas externas, apenas do design carregado é bem visível a presença da personalidade do cliente.

Na cozinha o vermelho se destaca bastante, principalmente se os moveis inferiores for preto. Uma dica que dou é usar móveis branco, pois deixa a cozinha mais suave.

  • Silestone Silver Star Purple (Roxo)

Deixa o ambiente bem feminino e muito aconchegante, essa cor é pouco utilizada por conta da dificuldade de encontra-la no mercado, mas que deixa o design único todos nós temos que concordar, não é?

  • Silestone Verde

Existe vários tons do verde, cada um mais lindo que o outro, torna o ambiente bem diferente e dá a impressão de um espaço verde.

  • Silestone Rosa (PINK)

Seria a minha cozinha dos sonhos? SIM! O preto tira o ar de ambiente infantil e deixa mais elegante.

 

Como sabemos que existe diversas variações nas cores, essa é mais um silestone rosa no banheiro.

 

 

  • Silestone Laranja

Como eu disse no inicio, silestone e outras pedras não só podem como devem ser usadas em vários ambientes e a prova disso é esse office lindo, com a mesa de silestone laranja  e detalhes de vidro. Aprovado?

 

 

 

 

 

Projeto Executivo E Suas Fases

Olá alunos, formandos e recém formados!

Uma das perguntas mais frequentes na nossa área é: Quais são as fases do projeto? O que devo entregar ao meu cliente? Dentre muitas outras hoje irei abordar o tema de projeto executivo e suas fases.

É importante saber que cada profissional tem o seu papel, desde a idealização do projeto estrutural (Arquiteto), construção (Engenheiro) e a fase final, que somos nós profissionais do design de interiores. Normalmente quando pegamos algum projeto de interiores os clientes tem uma planta da casa e quando isso acontece é ótimo, pois com essa planta teremos uma boa base de onde fica os pontos hidráulicos, elétricos etc.. Mas quando não temos essa sorte o jeito é fazer a verificação de todo ambiente para que não traga problemas futuros na hora de começar a obra interna. (Sempre tem aqueles contra tempos, como um cano quebrar na hora do quebra-quebra).

 

Todos nós sabemos que não podemos interferir no projeto estrutural, pois não somos arquitetos, certo?  Mas estamos em uma nova era da construção civil, onde o “esqueleto do prédio” é construído em alvenaria e as divisórias internas em gesso, ou seja, podemos “quebrar gesso”.

Sabendo disso vamos aos pontos importantes.

  1. Entrevista com o cliente: Você já tem o cliente e é esse o ponto inicial da execução do projeto. Nesse momento você explica como será realizado o seu trabalho, suas limitações profissionais e possíveis necessidades durante o projeto (ex. contratação de um engenheiro para derrubar uma parede), e a importância do cliente confiar nas indicações de mão de obra especificadas por você… É muito importante que até aqui você já saiba o quanto o cliente deseja investir no projeto. Se ele for investi R$ 15.000 mil, pergunte se esse valor está incluso o seu pagamento como designer pelo projeto, se este dinheiro está livre apenas para a obra e se ele dispõe de mais recursos. Lembre-se, é uma reunião geral, o cliente já viu seu portfólio, gostou e quer seu serviço, então é de extrema importância conversar sobre tudo.

Procure saber durante a entrevista…

  • A analise do perfil, qual a localização da obra, gosto, estilo e o meio social.
  • Quais as necessidades pessoais e funcionais, o que ele precisa, o que ele quer, qual o sonho dele.
  • Conhecer suas necessidades psicológicas, quem vai usar determinado ambiente, para quê ele usa e com o quê.
  • Quem são os moradores da casa/apto, o que eles precisa de modo geral, como é a rotina deles.

Em Caso de Projetos Comerciais: Há exigências que são mais complexas, com um investimento maior e nos aspectos de normas com segurança, higiene. Isso irá variar conforme as exigências dos diversos segmentos profissionais (saúde, alimentação, entretenimento, etc.)

  • Nesse ponto, será necessário analisar a localização, conhecer o perfil dos frequentadores em geral, se for possível fazer também uma pequena pesquisa com alguns clientes do local, para conhecer qual a  sensação psicológica que o ambiente atual transmite, o precisa ser melhorado, o que o cliente sente falta.
  • Fazer pesquisa com os funcionários, pois quem trabalha também tem necessidades especiais.
  • Se o ambiente for ser inaugurando ainda, você pode fazer uma pesquisa de mercado, conhecer os concorrentes para ter um melhor êxito na execução do projeto.

Aconselho ter sempre uma listinha perto da sua prancheta, para não deixar passar nenhum detalhe e lhe orientar durante a conversa.

2. Proposta:

É o momento de mostrar o orçamento geral ao cliente, como será a forma de pagamento, prazo para a elaboração dos projetos, o que será feito em cada ambiente, prazo de validade da proposta, (Estipule o seu prazo de “espera”) geralmente é entregue  ao cliente um contrato informal contendo todas as informações descritas acima e só após o aceite do cliente que é entregue o contrato formal. É de extrema importância deixar todas as cláusulas bem especificas sem termos técnicos, pois muitos dos clientes são leigos, quais suas responsabilidades técnicas, a existência ou não das RTs, da preferência por mão de obra indicada por você, em fim, tudo que você ache importante.

3.  Estudo Preliminar: 

Após fazer as medições de todo o ambiente e fotografar você dará inicio a esse estudo, através de um layout propondo a divisão operacional do espaço e posicionamento do mobiliário e uma planta de demolir/construir (se necessário), faça as elevações e perspectivas que buscam atender às expectativas e ao orçamento do cliente.

Poderá ser entregues 2 tipos de estudo: um mantendo a planta original, somente posicionando o mobiliário da melhor forma possível, e outro propondo mudanças na divisão interna do espaço.

4. Anteprojeto:

Planta layout global com especificações da seleção de materiais, revestimentos, acabamentos. Elaboração de cortes e elevações. Planta de gesso e detalhes. Planta de iluminação.  Piso. Paginação paredes.  Paginação elétrica (em caso de mudanças). Paginação hidráulica (em caso de mudanças). Paginação de ar condicionado. Planta de mobiliário. Planta de paisagismo interno. Planta marmoraria e vidraçaria e demais plantas.

5. Projeto Executivo

Apresenta o detalhamento necessário para que se possa executar o projeto (piso, forro, acabamento, mobiliário…) assim como memorial descritivo indicando especificações, tabelas quantitativas e planilha de orçamento.

Acompanhamento da execução do projeto.

Esta etapa é separada da elaboração do Projeto de Interiores. Ficando a critério do cliente contratar o Designer autor do projeto ou contratar outro profissional qualificado para acompanhar a execução do projeto.

  • Auxiliar/acompanhar o cliente nas compras de todos os produtos, sistemas e equipamentos já aprovados por ele (cliente).
  • Contatar e coordenar todos os profissionais que irão executar alguma das etapas do projeto.
  • Acompanhamento de cada etapa do projeto, informando ao cliente sobre os gastos a mais no orçamento.
  • Entrega de obra.

OBS: Cada profissional trabalha de forma individual, algumas dicas acima é de minha experiência e outras são usadas por demais profissionais.

– Entregue ao cliente um CD com imagens 3D , perspectivas e as demais plantas. Geralmente eu entrego o projeto executivo completo ao cliente e divido o restante a cada profissional. Ex: A planta elétrica para o eletricista e assim sucessivamente.

Qualquer dúvida, deixe seu comentário.

 

Divisória Vazadas para Ambientes

Olá pessoal,

Vou falar um pouco sobre as divisórias de ambientes com algumas inspirações, uma seguidora no instagram teve algumas dúvidas e eu resolvi falar aqui no blog.

Existem diversos materiais utilizados para fazer a divisão dos espaços internos e externos, o que está em alta são os cobogós e biombos, eles são uma ótima opção para  delimitar um espaço sem ter que levantar uma parede de alvenaria, e uma de suas vantagens é que o as divisórias separa os espaços sem fechamento total e com isso deixa o ambiente com sensação de amplitude e favorecendo a circulação de ar, e assim atraindo mais luminosidade para o cômodo.

Algumas opções são: Grades de metal, cobogós, drywall, painéis de madeira com rasgos e até mesmo de gesso (para ambientes internos).

Divisórias de metal: Maior durabilidade e chama atenção por seu design irreverente.

Divisórias de madeira: Tornando o ambiente rústico e com detalhes modernos.

Divisória de cobogó cerâmico: Bastante usado nas residencias e hoje está muito em alta, com suas cores vibrantes e alegres.

Divisória Drywall: É uma tecnologia que substitui vedações internas convencionais – paredes, teto, revestimentos. Ele consiste em chapas de gesso aparafusadas em estruturas de perfis de aço galvanizado.

A inovação poupa muito trabalho principalmente para quem deseja criar divisórias ou novos ambientes em um espaço. Além disso, seus custos são menores, seu peso mais leve e sua montagem mais fácil e rápida que o sistema tradicional de alvenaria.

Divisórias de gesso: Para ambientes internos e clean é uma ótima opção.

Que tal uma estante divisória feita de gesso com detalhes com iluminação embutida?

Divisória de vidro: Apesar de ser um material frágil, há diversas formas de composição no ambiente e dependendo da forma como será usada se torna esteticamente lindo e seguro.

 

 

 

 

A beleza e o design dos Lofts

Loft se refere a mezanino, sótão ou espaço semelhante (geralmente usado para armazenagem) sem paredes ou divisórias internas. Na arquitetura iniciou-se desde o século XIII conhecido como hayloft, um depósito de feno situado em mezanino de celeiros, muito usado na época como alojamento de empregados da fazenda.

Os lofts foram imigrados para a versão urbana na França no inicio da década de 50, com os apartamentos da Cité Radieuse, do arquiteto urbanista Le Corbusier.

Em Nova York na década de 1970, os velhos galpões e armazéns de edifícios foram reformados para servir de moradia para profissionais liberais, artistas, publicitários e executivos.

As características dos lofts são um único espaço aberto, onde permite criar e explorar todo o interior, há versatilidade desses ambientes integrados e muitas vezes a setorização é feita através do mobiliário.

  • Este primeiro sótão vem da equipe na Nudesign e foi criado por designers italianos Snaidero. O projeto aqui aproveita ao máximo a luz solar em streaming, com revestimentos em cimento queimado e ladrilhos.
  • Loft moderno com tons claros e que resulta em amplitude e leveza em cada parte do ambiente.
  • Loft residencial por Flávia Guglielmi Arquitetura, projeto incrível com total aproveitamento de espaço, ambientes  amplo com design e sofisticação. Projeto completo aqui.

loftcanajure254.jpg

  • O queridinho da temporada é projeto industrial, mezanino com estrutura metálica, sofá de couro e iluminação quente marca o estilo industrial. Mostra Casa Cor 2003 Loft Cais do Porto.
  • Clean, amplo e muita arte.
  • Um vista perfeita do loft, para que assim você possa ter noção de total aproveitamento de espaço, mas claro, com todos os ambientes integrados.

 

Concept Board

Olá, esse assunto é para aqueles que tem dúvidas sobre Concept Board e para quê ele serve, como funciona e como fazer de maneira fácil e rápido.

O Concept Board é uma prancha ou painel onde colocamos imagens com objetos decorativos, revestimentos, mobiliário, decoração e tudo aquilo que você acha importante para apresentar ao cliente junto com a planta baixa, esse painel ajuda no entendimento do cliente na  apresentação do projeto.

A forma mais fácil de se fazer um Concept Board é utilizando da ferramenta Power Point, pois é só separar um folha e ir jogando as imagens necessárias dentro e pronto é só imprimir, normalmente eu uso Corel Draw ou Photoshop, mas não faz muita diferença.

Segue alguns exemplos que peguei na internet e que poderá ajudá-lo na hora de montar o seu. 

breakfast-point-minimalist-master-bedroom2.jpg

Exemplo de Concept Board de mobiliário para quarto.

ob-home-office-gender-neutral-idea-board2.png

Concept Board com revestimentos, paleta de cores e objetos decorativos.